21/02/2017
BNDES apresenta novas políticas operacionais para solicitação de financiamento
O tipo de projeto apresentado passa a ser mais importante na avaliação, independente do setor.
Admin

A Abiquim em parceria com o Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos para Fins Industriais e da Petroquímica do Estado de São Paulo (Sinproquim), recebeu em sua sede no dia 10 de fevereiro, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, que apresentou suas novas políticas operacionais para solicitação de financiamento. 

A apresentação feita pela chefe do Departamento de Indústria Química do BNDES, Priscila Branquinho das Dores, destacou as principais novas diretrizes para empréstimos com Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que passam a privilegiar projetos com retorno social superior ao retorno privado. “Isso acaba destacando projetos de infraestrutura; micro, pequenas e médias empresas; projetos que promovam inovação; saúde; educação; meio ambiente e exportação, visando aumentar a competitividade das empresas em mercados internacionais”, informou Priscila. 

Ressaltando a importância de agregar valor à sociedade, Priscila explicou os novos processos de análise. “No enquadramento, que é a primeira fase em que o mérito do projeto é avaliado será feita a análise dos impactos do projeto, que passa a ser avaliado conforme cinco critérios: impacto regional, impacto ambiental, benefícios para a economia nacional, benefícios ao meio ambiente e impacto social. Claro que poucos projetos irão gerar benefícios em todas essas dimensões. Esperamos conseguir entender e traduzir os impactos gerados pelos projetos segundo esses critérios e cortar projetos que não contribuam de forma tão expressiva, não tenham um impacto tão relevante e que não serão elegíveis para apoio do BNDES”.  

Segundo Priscila, o tipo de projeto apresentado passa a ser mais importante na avaliação do BNDES, independente do setor. Mas, o conhecimento técnico dos departamentos especializados ainda contribuem para as análises dos projetos apresentados. “Quando chegar um projeto ao BNDES vamos olhar e falar qual é o valor de atributo que eu busco nesse projeto. Se ele irá gerar inovação, expansão de capacidade, se irá difundir tecnologia. Esse qualificador vai me dizer qual é a linha de apoio que esse projeto se insere”, completou.  

Para simplificar a solicitação de escolha de linha de apoio junto ao banco, a quantidade de linhas, programas e produtos, foram reduzidas de 101 para 50. Também foram incorporadas nas Políticas de Apoio ao Financiamento Direto 17 programas, entre eles: BNDES Proengenharia, BNDES Profarma e BNDES Proplástico. Mas programas como o Progeren e THAI permaneceram entre os produtos financeiros oferecidos. 

O BNDES também ampliou a faixa de empresas que se enquadram na categoria MPME, antes restrita a empresas com faturamento de até R$ 90 milhões, a classificação foi expandida para empresas com faturamento de até R$ 300 milhões. 

Ao final da apresentação, foram dados exemplos de financiamento por tipo de projeto como: 

Química Verde, que incluem produtos ou processos que utilizem insumos provenientes de fontes renováveis como matérias-primas, ou possuam menor impacto socioambiental; que terá como qualificador: meio ambiente; linha de financiamento Incentivada A, com valor mínimo de R$ 10 milhões e participação máxima de TJLP de 80%;

 Capacidade de Produção de Especialidades Químicas, que compreende a implantação de unidade produtiva de especialidades químicas, terá como qualificador: indústria e serviços difusores de tecnologia e linha de financiamento Incentivada B, com valor mínimo R$ 20 milhões e participação máxima em TJLP de 60%;

 Investimento em Indústria Química, que compreende a implantação de unidade de commodities químicas, terá como qualificador: capacidade produtiva, linha de financiamento Padrão A, com valor mínimo de R$ 20 milhões e participação máxima em TJLP de 30%, entre outros. 

No período da tarde, das 14h às 16h, a equipe do BNDES realizou atendimentos individualizados a 12 empresas do setor químico. 

BNDES lança aplicativo para Android e iOS 

O BNDES lançou na primeira semana de fevereiro o aplicativo gratuito BNDES MPME disponível para as plataformas Android e iOS. 

Por meio do aplicativo o usuário pode receber informações sobre as operações de crédito do BNDES realizadas por agentes financeiros credenciados (financiamento indireto), consultar operação de crédito para obter informações atualizadas sobre o estágio em que se encontra a solicitação, incluindo as datas das liberações, e pesquisar o cadastro de máquinas e equipamentos, sistemas e componentes no CFI do BNDES, buscando pelo nome, código ou modelo do produto, ou ainda pelo nome ou CNPJ do fabricante. 

Para fazer o download do aplicativo no sistema Android clique aqui.

Para fazer o download do aplicativo no sistema iOS é necessário ter a versão 10.2.1 do sistema operacional. Clique aqui para acessar a Apple Store.

 

Fonte: Abiquim

Copyright © Sellcomm Editora - Todos os direitos reservados
Receba nossa Newsletter
enviar