16/11/2016
Há oportunidades lucrativas no mercado nascente de lubrificantes para turbinas eólicas
A China é o maior mercado para lubrificantes usados na geração de energia eólica
Admin

Por Factor-Kline, Novembro 2016.

A distribuição do consumo de lubrificantes por região acompanha a divisão da capacidade instalada global. A China é o maior mercado para lubrificantes usados na geração de energia eólica, correspondendo a 34% da demanda, seguido de perto pelos Estados Unidos, com 21%. A Alemanha e a Índia têm uma participação de mercado de aproximadamente 6% cada um. Entretanto, a demanda da Alemanha é ligeiramente maior que a da Índia, de acordo com o relatório Lubricants for Wind Turbines: Global Market Analysis and Opportunities (Tradução livre: Mercado global de lubrificantes para turbinas eólicas: análise e oportunidades) publicado recentemente pela Kline, empresa global de consultoria em gestão e pesquisa de mercado.

A demanda geral por lubrificantes usados no setor de energia eólica aumentará de 37,6 mil toneladas em 2015 para 53,7 mil toneladas até 2020, refletindo uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 7,4%. O aumento da demanda por lubrificantes será influenciado principalmente por três fatores: aumento na capacidade de energia eólica, penetração das máquinas de acionamento direto e extensões do intervalo de troca de óleo. Os principais lubrificantes usados em turbinas eólicas englobam óleos para engrenagens, graxas e fluidos hidráulicos.

Sushmita Dutta, Líder de Projetos da divisão de Energia da Kline, afirmou: “A energia eólica vem ganhando importância rapidamente como fonte de eletricidade, já que não agride o meio ambiente. A eletricidade produzida pela energia eólica não usa nenhum recurso não renovável e não gera emissões de carbono. Além disso, governos do mundo todo apoiam o setor de energia eólica por meio de isenções fiscais, exigências de uso obrigatório, apoio aos preços e subsídios. Impulsionada por esse apoio, a capacidade de energia eólica cresceu rapidamente, aumentando a uma CAGR de 24% desde 2000”.

“Além disso, a necessidade de reduzir a incidência de falhas na caixa de engrenagens, aumentar a confiabilidade em condições operacionais extremas e, ao mesmo tempo, ampliar os intervalos de drenagem, contribuiu para o aumento do uso de lubrificantes sintéticos”, acrescentou Dutta. “O setor de energia eólica é diferenciado em relação aos outros setores voltados à utilização final por ter uma participação muito alta dos lubrificantes sintéticos, superando os 80%, na demanda geral e em todos os mercados regionais, incluindo a Ásia. Como o setor de energia eólica tem aversão ao risco, o receio de falhas na caixa de engrenagens e a necessidade de manter intervalos longos de drenagem para controlar os custos tornam os produtos sintéticos atraentes.”

“O uso de fluidos biodegradáveis praticamente não existe. As condições operacionais em turbinas eólicas são severas demais, e os óleos biodegradáveis tendem a se decompor, liberando ácidos que atacam os rolamentos e outras peças de cobre. No futuro, os óleos biodegradáveis poderão criar um nicho no mercado offshore, caso seja possível aumentar sua vida útil”, comentou Dutta.

A demanda global por lubrificantes no setor de energia eólica apresenta uma correlação positiva com o aumento na capacidade instalada total dessa modalidade energética. O aumento da demanda por lubrificantes ficou ligeiramente abaixo do aumento da capacidade instalada de energia eólica. Isso ocorreu por diversos motivos, como a penetração das turbinas de acionamento direto, que reduz a demanda por lubrificantes, da mesma forma que a ampliação dos intervalos de troca. Os intervalos de drenagem aumentarão lentamente — de três anos em 2015 para cinco a seis anos até 2020, em instalações on-shore, e de cinco anos em 2015 para seis a sete anos até 2020, em instalações off-shore. Conforme a capacidade das turbinas eólicas aumentou, particularmente acima dos 3 MW, a quantidade de lubrificante consumido por MW também diminuiu.

Os comerciantes de lubrificantes já existentes enfrentarão a ameaça de novos fornecedores de lubrificantes, principalmente no mercado de abastecimento de manutenção. Essa ameaça é particularmente relevante na China, onde há uma tendência de comprar produtos locais. Além de continuar a parceria com OEMs e grupos de clientes emergentes, os comerciantes de lubrificantes precisam fortalecer as barreiras de entrada no mercado, ressaltando seu histórico e conhecimento dos produtos e da tecnologia.

 

Copyright © Sellcomm Editora - Todos os direitos reservados
Receba nossa Newsletter
enviar