01/10/2014
Troféu Produtividade Blaser 2014 se consolida no Brasil
Realizado pela segunda vez no cenário nacional, evento apresenta resultados de empresas mais produtivas que otimizaram seus processos
Lubgrax

No dia 10 de setembro, a Blaser Swisslube, fabricante de fluidos de usinagem, realizou pela segunda vez no Brasil o Troféu Produtividade, prêmio que já teve 45 edições ao redor do mundo. Alemanha, Índia, República Tcheca e China foram algumas das sedes, como também, Suiça e França, países que receberam o evento por três e quatro vezes, respectivamente.

Os critérios são baseados nos relatórios que a Blaser documenta durante o ano anterior a cerimônia. Pesquisa feita ao redor do mundo que já resultou algo em torno de 30 milhões de reais, assegura Alessandro Alcantarilla, diretor-geral da Blaser do Brasil. Registra-se que as análises são assinadas pelo cliente, ou seja, reconhecidas pelo seus parceiros.  Outro ponto de grande relevância: a Blaser conta com um sistema que roda em uma plataforma IOS, que permite ter um panorama completo da produtividade de cada cliente. Trata-se do Liquid Tool Analyzer.

Esse evento homenageia as empresas que mais se beneficiam utilizando seu produto. Isso ocorre desde 1936, data que foi fundada a empresa na Suíça, quando iniciara suas atividades vendendo cera para engraxar bota de couro dos fazendeiros. Na ocasião, só era cobrado aquele que efetivamente tivera um ganho de qualidade ao utilizar o produto da Blaser. Neste caso, o calçado se tornou mais confortável para os trabalhadores rurais.

Alcantarilla  relatou que o intuito da Blaser não é apenas efetuar uma venda. É preciso se basear por meio de documentos para analisar o processo e fazer uma proposta de valor. “Atingimos o nosso objetivo somente após o cliente comprovar o benefício do produto. Não há promessas vazias, o que prometemos nós entregamos”.

Para este ano há uma nova categoria, dentre as cinco analisadas e homenageadas: consumo de ferramenta, sustentabilidade, consumo de fluido, produtividade e fidelidade. “Mudamos as categorias porque de acordo com os cinco ganhadores nós tivemos um tipo de ganho. Então decidimos colocar uma categoria inédita chamada de fidelidade”, explicou Alcantarilla. Essa premiação retrata o longo prazo de relacionamento com os clientes, que, aliás, é um dos objetivos da companhia.

Marc Blaser, CEO,  destacou que o principal objetivo é conscientizar o mercado ao ponto de ter uma visão holística, ou seja, perceber de uma forma completa o processo, a fim de aumentar a competitividade e produtividade. “Nós documentamos todos os projetos que as empresas apresentam para que consigam se desenvolver cada vez mais, tornando-se competitivos nos segmentos que atuam”. Já o diretor geral enalteceu que as empresas devem ficar integradas ao mercado. “Precisamos educar o mercado, a ideia é sempre apresentar em eventos como esse novas estratégias de como treinar os clientes, elevando o nível não só das pessoas e, sim, do mercado. “Acreditamos que com um patamar maior de educação, a compreensão da nossa filosofia será melhor”.

Marcelo Kuroda, engenheiro de Aplicação, ressaltou que a grande diferença é que hoje o prêmio está mais consolidado. “Quando a Blaser fez este evento foi perceptível que o mercado não estava preparado para recebê-lo. Neste ano percebemos que houve uma maior aceitação, o público-alvo atendeu prontamente ao nosso convite”. Kuroda afirmou que desde que a Blaser entrou no mercado, mudou-se o conceito do óleo. “Era visto como um mal necessário, hoje, ele pode ir além da refrigeração. Ninguém percebia o óleo com um efeito de alavanca trazendo um ganho de produtividade, mas com um custo pequeno”.

Premiação

Em cada categoria, os executivos apresentaram os indicados e os produtos utilizados pelas vencedoras, além dos resultados obtidos.

Consumo de ferramenta - Hübner

A Hübner Componentes e Sistemas Automotivos, do Paraná, que possui parceria com a Blaser há 4 anos foi premiada por reduzir o consumo de ferramenta em 86% ao utilizar o Blasocut BC 20. Herbert Biscaia de Oliveira, engenheiro de produto, explicou que a companhia por meio de testes conseguiu descobrir que o fluido de corte tem um custo pequeno  no montante de custo das peças. “Nós fizemos a limpeza dos tanques, substituímos o produto anterior que apresentava excesso de bactericida. Isso poderia afetar o processo caso continuássemos a utilizá-lo. Então, começamos a averiguar qual seria o consumo de ferramenta baseado no seu histórico e descobrimos que ao usinar utilizando o óleo da Blaser obtém-se um grande desempenho no processo”.

Sustentabilidade - Electro Aço Altona

Na categoria “Sustentabilidade”, o prêmio foi para a Electro Aço Altona, de Santa Catarina. A empresa, que produz peças fundidas e usinadas, esteve representada por Erico Bini, supervisor de Usinagem.

Iniciou o trabalho com a Blaser desde 2008 e nesse ano teve a ideia de reaproveitar o produto descartado que tem um custo de destinação. Ou seja, o óleo que seria descartado retornou para o processo da máquina, impactando em uma redução de consumo de 8 mil litros. “Além desse ganho, ele volta para um processo como um óleo com uma concentração maior e evita que mais óleo virgem entre no sistema, utilizando esse óleo do descarte”, esclareceu Bini, dizendo que a utilização foi feita em 2014 após a realização de um teste aplicado em 2013. As análises serviram para mostrar a viabilidade desse processo e provou que traz benefícios para as empresas que apresentam esse tipo de dificuldade. O produto responsável pela incremento de qualidade foi o Blasocut 4400.

Consumo de Fluido - SR Moldes

A SR Moldes, de São Carlos (SP), empresa que atua no segmento de ferramentaria e usinagem, reduziu em 79% a reposição de emulsão com o uso do Blasocut BC 20 – óleo mineral. Morian Santana Rodriguez, responsável pelo financeiro, contou como foi possível ter essa conquista. “O óleo da Blaser fez uma grande diferença no processo. Quando utilizávamos outro óleo, era necessário trocá-lo da máquina inteira. A cada 4 meses retirávamos o óleo, porque já não estava adequado para uso”. Agora com óleo da Blaser, a companhia já está 1 ano 9 meses sem fazer qualquer substituição. Sendo assim, observa-se um custo reduzido.

Produtividade – Villares Metalls

Localizada em Sumaré (SP), a Villares Metalls, empresa que está desde 1970 no mercado produz barras retificadas nas mais variadas aplicações. Requisitou os serviços da Blaser para aumentar a vida da ferramenta, um rebolo, e também, aumentar a velocidade da linha de corte a fim de produzir mais toneladas em peças do que normalmente era produzido. A Blaser estudou o caso e identificou o produto que poderia alcançar esse objetivo.

Foram feitos testes que mostraram resultados que superaram as expectativas. Houve aumento de produtividade e melhoria no consumo da ferramenta. “Aumentamos a vida útil da ferramenta. Nós saímos de 46 toneladas para 100 toneladas”, disse Walmir Zolio Junior, supervisor de produção.

A Blaser também fez um cálculo que detectou: cada vez que a empresa trocava a ferramenta, a Villares aumentava sua produção para 16 toneladas. Para chegar ao patamar desejado a empresa contou com as potencialidades do Blasocut BC 935 Kombi.

Fidelidade – Tormep

Como dito anteriormente, a Blaser colocou uma nova categoria para este evento: fidelidade substituiu segurança no processo, categoria apresentada na edição anterior.

Desde 2002 atuando junto com a Blaser, a Tormep - Tornearia Mecânica de Precisão, de Campinas (SP) recebeu essa homenagem.

Ocimar Mariano, gerente de fábrica da Tormep, esclareceu que o produto usado possui propriedades que se enquadram dentro da proposta de sustentabilidade. Ou seja, o óleo detém propriedades ilícitas ao meio ambiente. O produto a base vegetal utilizado pela Tormep foi o Vasco 1000. “É uma premissa da empresa utilizar lubrificantes vegetais”.

Luiz Fernando Servin, gerente de qualidade, garantiu que a forma de trabalhar da empresa é manter a fidelidade. “Acreditamos que o sucesso e a sobrevivência das empresas só é possível mediante a conquista de uma parceria de longo prazo”.

Considerações

Na primeira edição não havia uma periocidade definida. A questão varia conforme as quantidades de reports a serem analisados e, também ao anfitrião que recebe o evento. Por exemplo, na França é anual. Para os próximos anos na América do Sul, que inclui-se notavelmente as participações de países como o Brasil, a cerimônia deverá ocorrer a cada dois anos, como vem ocorrendo normalmente. Sabe-se que a Blaser do Brasil atua no setor desde 2001.

Copyright © Sellcomm Editora - Todos os direitos reservados
Receba nossa Newsletter
enviar