07/03/2016
Detentora da marca mundial prime, Aeroflex comemora 10 anos e inaugura nova fábrica em Curitiba
Estrutura inspirada em conceito europeu tem capacidade para aumentar em 10 vezes a produção de linha própria e envasar produtos de terceiros.
Admin

Curitiba, março de 2016 - Eles cresceram sem alarde e hoje são proprietários de uma indústria de aerossol e produtos químicos com um faturamento anual da ordem de R$65 milhões. Comandam com rédeas curtas uma marca forte (Mundial Prime reconhecida como Top of Mind em 2014 e 2015), orquestram um portfólio com mais de 300 produtos - que atende o segmento automotivo e de construção civil - e encantam mais de 4 mil clientes. A mais recente conquista do casal Geisa e Márcio Miksza, e do amigo Ricardo de Freitas, fundadores da Aeroflex, é a inauguração de uma imponente fábrica na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), agendada para o próximo dia 11 de março.

Márcio Miksza, diretor comercial da Aeroflex, é taxativo ao afirmar que não existe hoje no Brasil uma fábrica nos moldes da Aeroflex. “O principal diferencial da nossa fábrica é a segurança, condição enaltecida pela modernidade e alta capacidade produtiva. Todos os ambientes de trabalho foram divididos para minimizar riscos. O projeto da Aeroflex foi traçado em cima do conceito europeu, mas não seguimos a norma europeia – que demandaria o dobro do investimento. Em resumo, no que diz respeito à segurança o mercado europeu ainda está um passo a nossa frente, mas nós estamos a muitos passos dos concorrentes locais”, completa.

Novos horizontes

Mais do que uma nova fábrica para impulsionar o mercado de aerossol, a Aeroflex antecipou uma oportunidade de mercado para ampliar sua linha de produção e seus segmentos de atuação. “O mercado de aerossol no Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer. Hoje, aproximadamente 50% do aerossol consumido no país é proveniente de outros países e queremos preencher essa lacuna de mercado como envasador para produtos de terceiros”, admite.

Para 2016, a Aeroflex planeja atrair players do mercado de saneantes, veterinário e cosméticos. Ainda para este ano, a empresa também anuncia o lançamento de uma linha própria de produtos saneantes, produtos para uso doméstico como desodorizadores de ambientes e limpadores multiuso. O início da comercialização está previsto para o segundo semestre. “Queremos acelerar a parte de inseticidas e envase de repelentes também para contribuir no combate da epidemia de Dengue, Zika Vírus e Chikungunya”, pontua.

Atualmente, o faturamento da Aeroflex está distribuído em 30% para o segmento automotivo, 30% para a construção e 40% em tinta aerossol, que atende os dois mercados.

Investimento

Além de separar a central de armazenagem de gases, os tanques de armazenamento de solventes e a área de formulação da estrutura principal, que acomoda a linha de produção com o sistema gas house, expedição e almoxarifado, a Aeroflex investiu alto em sistemas, processos e rastreabilidade de lote. “O investimento em estrutura permitiu a adoção do sistema de telemetria na central de gás, que possibilita identificar em tempo real a pressão interna dos tanques, assim como a temperatura e o volume de gás. Já o investimento em processos, iguala no patamar mais alto o envase de todos os produtos nos padrões da indústria cosmética”, justifica Miksza.

A nova fábrica soma 15 mil metros quadrados de área construída contra 6 mil metros quadrados da sede anterior. “Trocamos três aluguéis por um na Cidade Industrial – a estrutura anterior era dividida entre o bairro Tatuquara e o município de Araucária. Ou seja, diminuímos a despesa e aumentamos a receita”, avalia o diretor comercial. O investimento total, entre estrutura e maquinário na nova fábrica da Aeroflex, foi da ordem de R$20 milhões.

Sustentabilidade

Independente de não ter sido concebida como uma indústria 100% sustentável, no que diz respeito a certificações, a Aeroflex se preocupou com o tema e buscou ações eficientes que propiciam economia no gasto energético e consequente redução na emissão de gás carbônico na atmosfera. Além de valorizar a iluminação natural, a nova fábrica conta com lâmpadas de LED, maquinários e motores nas linhas de produção de última geração e aparelhos de ar-condicionado tipo inverter, que reduzem em até 60% o consumo de energia. No futuro, a Aeroflex também pretende instalar geradores de energia fotovoltaica.

Apesar do pouco resíduo gerado, a separação e venda do lixo que não é lixo para indústrias de reciclagem é realizada por uma comissão de funcionários e a renda é distribuída ou convertida em prêmios.

A fábrica da Aeroflex também possui estação de tratamento de água e cisternas de captação e aproveitamento de água da chuva para a irrigação de plantas e jardins. Torneiras com fechamento automático reduzem até 60% o consumo de água.

Relacionamento com o mercado

“A construção dessa fábrica, além de coroar nossos esforços, garante trabalho num ambiente seguro para nossos funcionários, entrega produtos de qualidade para nossos clientes e atende a demanda de terceiros com segurança extra”, contextualiza Geisa Miksza, diretora de compras.

“Além de realizarmos um grandioso evento de inauguração para nossos familiares, amigos, clientes, autoridades, imprensa e prospects, vamos emendar nessa festa a primeira convenção de vendas da Aeroflex para um time de 70 representantes de todo o Brasil”, avisa.

Apesar de os treinamentos já fazerem parte da rotina da Aeroflex, essa será a grande oportunidade de os sócios dividirem com seus representantes a estrutura por trás da Mundial Prime.

Copyright © Sellcomm Editora - Todos os direitos reservados
Receba nossa Newsletter
enviar